segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

domingo, 20 de dezembro de 2015

Se encontre

Quando a gente
se encontra
já nem leva mais
em conta
quem se demora
e seus porquês.

Mornidão

Basta dessa mornidão,
isso que não queima
e nem refresca,
água só ferve
pra quem não espera
e esse tal não chega
enquanto eu esperar.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Recibo da felicidade

Felicidade não é coisa
que chega
de mão beijada
é coisa que se conquista
se você arrisca
e, se paga o preço,
logo, ao longe, avista
o recibo da felicidade,
pago à vista.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Abra o peito

Tire o medo
da vontade
e a maldade
do desejo.
Fique só com o bom,
sem tensão,
abra o peito.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Expectativa

Expectativa
é coisa que
a gente cultiva
e rega, todo dia,
pra que cresça
dentro da gente
a esperança
de que esse
tanto esperar
um dia compense.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Desejo

Um desejo saciado
é fogueira que apaga.
A gente disfarça,
mas por mais que faça
o desejo passa.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Construção

A morte de quem fomos
dá lugar
à construção
de quem somos,
que é obra longa, infinita.
Por isso quem fomos
resiste tanto
em morrer e,
durante muito tempo,
grita.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Cegueira

A certa distância
a gente enxerga
o que, de tão envolvida,
não conseguiu ver.
Só vi o que quis
e não o que era,
desfeita a cegueira
não vejo mais você.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Fluir

Se posso ir flutuando,
por que estou correndo?
Melhor entregar, soltar,
deixar fluir...
que rio cedo ou tarde
encontra mar
e aí se torna tão grande
que já nem se lembra mais
que um dia foi pequeno.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Trindade

Trindade
é uma arte
desenhada
de ponta a ponta.
Não há canto ...
que escape
nem paisagem
que não faça parte
do deslumbramento
que invade
ao pisar em Trindade.

domingo, 8 de novembro de 2015

Estrelas

Tua língua
em meus lábios,
pequenos.
A boca seca,
pernas bambas
e você entre elas.
Só cinco minutos
pr'eu ver estrelas.

Mendiga

Por você eu sou outra.
Sou moça mendiga
que pede, implora,
que teme,
que chora,
se arrasta,
se encosta
e espera,
parada,
um gesto qualquer.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Ceia

Engole a vida
tão rápido
que nem
a saboreia.
Mastigue
com calma
cada pedaço
dessa saborosa
ceia.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Sonho

O eu se dissolve
e então você vê
que todo esse tempo
não era só sobre você.
O desequilíbrio é geral
e os que sentem demais
esses sentem pra ver
e mostrar para os que dormem
que o sonho é maior
do que parece ser.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Só mente

Tem peso demais
o passado,
prazo de validade
o presente,
o futuro,
chego a ficar desconfiada
que não existe,
só mente.

Para

Para quem espera,
calma.
Para quem só erra,
pausa.
Para quem lidera,
causa.
Para quem prospera,
alma.
Para "quem me dera",
raça.


Expectativas

Ninguém vai atender
as expectativas que
você cria.
São
imagens mentais,
miragens emocionais,
desejos desproporcionais.

sábado, 31 de outubro de 2015

Sexo frágil

Meu sexo frágil
é ágil
e está num estágio
que sabe o que quer.
Seu sexo forte
tem medo
e foge
da fragilidade
de uma mulher.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Porta

Não feche a cara
pra sorte
que te sorri.
Feche essa porta,
dê meia volta
e olhe pra trás:
continuo aqui.

Janela

Eu vejo
pela janela
um rio.
Ele passa
e eu,
apoiada nela,
continuo aqui.

Pegadas

Foram as pegadas no chão
que te mostraram
pra onde ir
ou as batidas
em seu coração
pulsaram tão forte
que te fizeram
as seguir?

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Tomando café
pensei em você
e fiz uma fé
pra você me querer,
mas querer
com gosto,
não feito mané
desses que são
como um encosto.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Enrosco

Se parar pra pensar
não vale a pena.
Se parar pra sentir
não tem problema.
Eu me enrosco em você
e não consigo soltar.
Aposto que desse enrosco
você também gosta
e não quer me largar.

domingo, 25 de outubro de 2015

Obra-prima

Pega o que é teu
com as mãos
e arranca.
Deixa que saiam
todas as verdades
pela garganta.
Faz dessa tela
em branco
uma obra-prima.
Escreva a vida
em versos
e rima.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Livre

Decidi ser mais que uma,
não ser mais uma,
decidi ser eu.
E julgamento nenhum pode,
de forma alguma,
condenar o que em mim é livre
e de tão livre
já nem é meu.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Primavera

Espera,
que novamente
há de florescer
dentro de você
a primavera
que promete
ser a mais bela
que esse mundo
chegou a ver.

Acasos

Vivendo de acasos
por mim cocriados
eu passo por você
e esbarro, por querer.
Por saber o que quero,
paciente, espero
pelo momento certo
de ouvir o que sinto
reagir ao instinto
e ceder ao prazer.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Relento

Ficarei por perto
enquanto te sentir aberto.
Não bato em porta fechada,
trancada pra fora,
ao relento.

domingo, 11 de outubro de 2015

O meu Amor

Amo o meu Amor
mais do que ao meu amado.
E é, antes de tudo,
dele que me alimento,
enquanto vocês têm fome
do Amor dos outros,
obcecados.
O próprio Amor oferece
tão farto banquete
pra quem aceite que amar o Amor
dentro da gente
é ter dentro de si fonte inesgotável
de gozo e deleite.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Silêncio

Por vezes
o silêncio hesita,
quando deveria falar
e a palavra atropela,
quando deveria calar.

domingo, 4 de outubro de 2015

Luz

Não sou mendiga
e amor não é esmola.
Tenho corrido atrás de sombras,
miragens, espectros...
Mas, se acendo a luz, eles somem.
Abro os olhos e vejo as flores que me cercam.

sábado, 3 de outubro de 2015

Rio sem mar

Desejo sem vontade
é rio sem mar
que corre corre corre,
mas pra onde não sabe...
nunca vai chegar.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Peito aberto

De peito aberto
um frio na barriga
e borboletas no estômago
lambendo minhas próprias feridas.

Coragem

O contrário de medo é coragem.
Coragem é agir com o coração.
No coração nasce o amor.
Do amor nasce a vida.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Verdade

Às vezes me belisco
para saber se estou vivo.
Às vezes corro um risco
e perco um ou dois compromissos.
Tudo se torna real
quando o desejo vira vontade,
e vira a vida do avesso,
para que a gente viva,
enfim,
a nossa verdade.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Metade

É inútil fazer dormir,
abafar essa dor pungente.
Não dá pra ser sempre alegria.
Quem diz que dá mente.
Sou feito de tudo
que sinto, falo, faço
do que duvido
e do que tenho certeza
Pra ser inteiro,
sem essa metade,
tenho que ser
também tristeza.


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Ser feliz

Acho que ser feliz é mais fácil
quando não penso.
Quando não peso
os prós e contras de
se estar vivo.
Quando não luto
com meus pensamentos.
Quando não brigo
com o que carrego no peito.
Acho mesmo que ser feliz é
isso que sou
quando nem sei
que estou sendo.

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Libertar

Essa verdade que fere.
É ela que vai te libertar.
Das culpas,
vergonhas,
concepções errôneas
e do seu vício em julgar.

domingo, 13 de setembro de 2015

Clichê

Quem sente
não está em alta.
Permita-me que eu invente
um amor pra te entregar.
Uma falta
pra você preencher.
Uma farsa,
um conto de fadas
e todo esse clichê.



Vergonha

De vergonha em vergonha
a gente esconde o que é
e mostra só o bonito
ser já perfeito,
é um equívoco,
não ter defeito,
um mito,
esteja em paz
sendo o que se é.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Dança

Caia na dança
de passo em passo,
envolta em meus braços,
em segurança.
Sou letra e melodia,
condutor e conduzida.
Sim, eu sou você
e você, menina,
gota reluzente
dessa fonte Divina.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Expectativa

Foi tanto esperar
que eu esperei.
Você, a pensar,
também esperou.
Que tudo isso,
pensando bem,
se explica:
a expectativa
expirou.

                                                                                                                                                                   

Brincadeira

Ser menina e
ser mulher
ao mesmo tempo,
dá trabalho
essa brincadeira
de ser duas
de ser quem eu queira.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Longe

Diz pra mim
se pode isso,
que não sei
se isso é certo.
Ter tão longe
quem aqui dentro
mesmo distante
ainda está desperto.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Angústia

Causa da minha
angústia.
Você já não
vale
o que me
custa.

Viagem

Quero um colo
que me conforte,
um impulso
que me levante,
uma companhia
pra essa viagem
que embarcamos
a cada instante.

Chuva

Hoje não parou
de chover,
milhões de gotas
tocam o telhado.
Mas meu telefone
não toca
e ninguém deixa recado.
Não choveu na
minha horta.

Vaidade

A sua vaidade me diz
pra eu ficar.
A minha vontade
quer acreditar
que existe verdade,
mas sei,
todos sabem,
que amor quando invade
não aguenta esperar.

Vão

Lá embaixo
carros vêm e vão
e eu,
que não sei pra onde ir
faço poesia e,
aqui de cima
vejo pelo vão,
os carros que vêm e vão.

Atalho infinito

Um atalho infinito
pra que eu fique
cada vez mais distante
do amor que quero,
mas tenho medo
que quebre,
como aquele enfeite
na estante.

domingo, 6 de setembro de 2015

Por que nunca?

Por que nunca?
Nunca é muito tempo.
Tempo que não temos.
Temos tão pouco futuro.
E dizem que ele nem nos pertence.
Pertençamos, então, um ao outro essa noite.
E, se não nos pertence o futuro,
Terá nos pertencido, ao menos, o presente.

sábado, 5 de setembro de 2015

Amor e medo

Amor e medo
na mesma sentença
é, na certa,
sentença de morte.
O medo mata o amor.
O amor mata o medo.
O medo em você
matou o meu amor.
O amor em mim
matou meu medo
de ficar sem você.

Comida

Não sei calar
o que em mim grita.
Não sei ser santa
quando quero ser puta.
Não sei ser lanchinho,
quero ser comida.

Explosiva

Explosiva nas paixões.
Meu sim é muito sim.
Meu não é muito não.
Quem fica em cima do muro
mais cedo ou mais tarde cai.
Caiu a ficha pra mim.
Te deixo, em paz.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Acolho

Acolha a criança
birrenta e carente
que,
no canto da sala (você)
sentada,
ainda sente,
aquele joelho ralado,
aquele coração machucado,
aquele brinquedo quebrado.


Intempestiva

Eu:
Intempestiva
criativa
festiva
altiva
diva.

Você:
Tempestade
num chove
não molha
infinito
chuva ácida
que arde.

Tesouro

Não dá pra achar fora
o que lá dentro se perdeu.
Só você tem o mapa
pro tesouro que é seu,
mas que,
ao ser dividido
não perde valor
nem é diminuído.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Bagagem

Bobagem
carregar tanta bagagem
se o que me enche o coração
de coragem
não cabe numa caixa,
numa mala,
numa sacola.
Cabe no peito
que cheio de amor
transborda lucidez
e diz não à loucura
de quem pensa que ajuda
dando esmola.

Lição

Qual a lição
que mais uma vez
tenta me ensinar
nossa situação?

Só quem já
se apaixonou
sabe o que é
perder a razão.

Perder o foco
o senso crítico
perder nosso juiz(o)
e só viver no coração.

Será mais prudente
esperar, paciente,
pelo sim
ou pelo não?

Não sei se há tempo
não sei se em tempo
vou descobrir
vou decifrar
essa questão.


Saudade

Saudade
de ilusões perdidas,
de tanta coisa que não foi
e poderia ter sido.
Tantas vagas impressões
de uma vida mais colorida
mais vivida
mais ardida
mais vida.
Por que tantos julgamentos
e condenações equivocadas
quando somos todos
carrascos e vítimas?

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Vulcão

Sou vulcão de lava quente,
que se espalha,
não se contém.
Você, oceano, não me entende,
e quer me esfriar,
mal nos tocamos,
me detêm.

Clamor

Para reconhecer o amor
conheça primeiro a si mesmo
e, ao ouvir seu clamor,
não duvidarás
nem por um momento.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Atalhos

Não se surpreenda ao se ver
olhando o espelho que é o outro.
Enxergue-se nas falhas alheias,
não as aponte,
elas não são feias,
são apenas longos atalhos
de quem se encaminha
pro mesmo destino
sem saber ser inútil
travar uma luta
somente com os galhos.

Entrega

Te via, ali, parado,
seus olhos em mim refletidos.
Eu já não tinha mais voz pra falar,
você já não tinha ouvidos.
Sabemos sempre
que há um preço a pagar
por nossas escolhas,
nossos planos.
Mesmo assim resolvemos (não) ignorar
os riscos contidos na entrega,
e (não) nos entregamos.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Abdicar

O que separa
o ser criança
do ser adulto
não são os anos vividos,
nem o caminho percorrido.
É a capacidade de abdicar
do objeto desejado
sem chorar,
sem se jogar ao chão
ao primeiro sinal de não.
Não é seu.
Não pode ser seu.
Minha criança hoje tenta ensinar
ao adulto que quero me tornar:
e aí, entendeu?

domingo, 30 de agosto de 2015

Pula!

Dia quente,
piscina gelada.
Não sinto a água.
Pulo!

Sou piscina gelada,
em dia quente.
Pula!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Luz

A luz
faz cores
surgirem
em flores,
arco-íris,
paisagens,
amores.

O corpo grita

Pare para notar
as notificações
que o corpo dá.
Cabeça que dói .
Estômago que corrói.
Pulso que palpita.
Sinal não falta
pra visualizar
as notificações
que o corpo
grita.

Coragem

Tire a couraça
que já não lhe cabe.
Desnude-se.
Permita-se.
Humanize-se.
Deixe que o coração aja.
Na fala.
Na cara.
Na tara.
Abra em você um espaço
para que a felicidade
lhe caiba.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Calma

A  minha c(alma) se apressa,
estando aqui, já quer estar lá.
Não sei conter o que pulsa,
tenha paciência, não me expulsa,
me ensina a ter essa calma
já que pra estar ao seu lado
preciso ir devagar.

À espera

Ficar à espera
parada à porta
de um coração
que não bate
nem chama
por mim.
Não atende
não abre.
Já não sei
se eu quero,
de novo,
essa espera
sem fim.

Se soltar

Dançar com o medo
faz parte
da arte de amar.
Se envolva em seus braços,
descanse em seu abraço,
dance em seu compasso,
gire, rodopie,
até se soltar...

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Viajante

E de repente quem foi desejado chega.
Sem hora marcada,
mas chega.
Sem você estar preparada,
mas chega.
Sem a sala estar arrumada,
mas chega.
Sem avisar por quanto tempo fica:
3 meses
4 anos
pra sempre.
O hóspede é um viajante
que talvez se encante
e vai voltar
voltar
voltar.
Até que um dia não volta mais
ou, até quem sabe,
volte pra ficar.

domingo, 23 de agosto de 2015

Plano de fundo

Segundo a segundo
a flecha crava mais fundo
e o pensamento em você
é sempre o plano de fundo.

sábado, 22 de agosto de 2015

Talvez

Nunca gostei do talvez e,
talvez por isso
nunca tenha tentado
talvez por isso
nunca tenha falhado
talvez por isso
nunca tenha dado certo.
Talvez a vida
seja um grande talvez
e, talvez, evitar o talvez
seja evitar a vida,
que nem sempre
é bem sucedida,
mas sempre é.

Nova Era

Hippie
na Nova Era
de wifi
e pacote de dados 3g,
conecta boas energias
compartilha paz e amor
navega num mar de alegria
e curte o prazer.


Paraquedas

Sem paraquedas
eu caio,
em queda livre,
de amor por você.
De um sentimento
que nasce de dentro
nenhuma armadura
irá me proteger.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Garantias

Não quero garantias,
só a verdade
do que se sente, 
todo dia.
E se houvesse
sinceridade
assim seria.

Tua presença

As cores são mais vivas
quando estás,
mas continuam cores
na tua ausência.
Mas fica difícil
se acostumar
a cores bonitas,
mas sem a vida
da tua presença.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Migalhas

Guardei as migalhas de amor
que me deste
numa caixinha e,
ao final de tudo,
não tinha um amor inteiro
só migalhas, migalhinhas...

Pássaro

Pássaro não se impede
que voe.
A gente dá a liberdade
pra ele voar
e só voltar se assim quiser,
por mais estranho
que soe.

Amor livre

O  amor que não é livre
já falhou em ser amor.
Ele rouba nosso brilho
e dos dias furta cor.

domingo, 16 de agosto de 2015

Mental(mente)

Um magnetismo nos atrai
física e emocionalmente.
Mas algo sempre fica entre nós,
o mental(mente).

sábado, 15 de agosto de 2015

Aprender a perder

As vezes a gente ganha
só pra aprender a perder
o que nunca teve de fato
e o fato é que nunca tive você
até aprender a te perder

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Ecoa

A boca fala
pela cabeça,
quando deveria
se calar
e ouvir a voz
que ecoa dentro,
do coração,
a sussurrar.

Distração

Hábito, rotina,
passatempo,
distração.
Te desvia de você
e te atira,
sorrateiramente,
em outra direção.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Três doses

Uma dose de bom humor
e duas de sonho
pra acordar nesse mundo
e dentro de mim despertar
tudo o que sou.

Uma coragem

A ponto de ter uma coragem,
eu rasgo os velho contratos
e remo pro lado contrário.
Tomo partido de mim
e fico, enfim,
de vez do meu lado.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Descansar

Fazer as pazes com tudo que há.
Desfazer as malas e,
em mim, repousar.
Descansar de lutas
que me obrigaram a travar.
Refazer as metas
e, ao alcançá-las,
dobrar.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Jogo do desejo

O desejo me mantém
presa ao jogo do desejo.
Um só beijo
que contém:
bem e(m) mal
amor e(m) medo

O que realmente importa

O tempo pára
e nada mais importa.
Alguém que a gente ama
nunca mais vai entrar
por aquela porta.
Mas, no escuro,
fica tudo tão claro.
Que, ao apagarem as luzes,
a gente só vê
o que realmente importa.

Ofício de amar

Procura-se alguém
pra contratar um coração.
Inexperiente no ofício de amar,
mas sedento por aprender
e também compartilhar
tudo o que se pode saber
pelo ofício de amar.

domingo, 2 de agosto de 2015

Prazer divino

Doces obscenidades
sussurradas ao pé do ouvido,
de quem descobriu no amor
que o prazer é algo divino.

Sigo adiante

Amores e amigos,
desculpe, estou partindo.
Com a mala cheia de lembranças
das dores e alegrias vividas.
Colhi todas as rosas
que plantei pelo caminho
e,vez ou outra, distraído,
me feri em seus espinhos.
Sigo agora adiante,
mas não sigo sozinho.
Levo comigo uma saudade,
um terno e o infinito.

Aceita que dói menos

Aceitar a dor
a faz menor e,
ainda que doendo,
não há mais sofrimento.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

domingo, 26 de julho de 2015

Piscar de olhos

Te encantei e,
por um dia,
só víamos um ao outro.
Mas você muda a chavinha
e num piscar de olhos
não está mais na minha.

Sútil agonia

Se entrega e se joga
de cabeça e coração.
Não existem regras
ou garantias.
Talvez uma sútil agonia
ao fim de toda emoção.

sábado, 25 de julho de 2015

Roupa velha

Não se acostume, menina,
àquilo que te fere.
Jogue no lixo essa roupa velha
e abra espaço no armário
para que o novo prospere.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Jardim interior

Siga as borboletas
do seu jardim interior.
Ouça a música que elas dançam,
sinta o prazer da ausência de dor,
e não terás o que temer
pelo caminho do amor.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Calma no coração

Na pressa
da perfeição da alma
a gente esquece,
que a calma no coração
é o que enriquece.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Poeira estelar

Se somos poeira estelar
quem nos varreu para cá?
Quem do Universo nos aspira
e nos leva de volta
para o espaço,
nosso lar?



sexta-feira, 17 de julho de 2015

Arrisca

A vida fica mais divertida
quando a gente descobre
o que gosta, e se arrisca.

Saudade tardia

Saudade tardia.
Tanto tempo já passou...
Achei que essa ferida
já não ardia.
Você não assoprou?

Entre nós

Entre nós
nenhuma faísca,
nenhuma tensão.
Como pode haver vida
onde não existe
coração?